Autoridades de Cocalzinho e representantes do Estado se reúnem para definir local destinado a construção da unidade prisional

Autoridades de Cocalzinho e representantes do Estado se reúnem para definir local destinado a construção da unidade prisional

O assunto da construção do presídio regional no município de Cocalzinho de Goiás mais uma vez resultou em reunião entre o chefe do executivo, os vereadores e representantes do Governo do Estado de Goiás.

A reunião para tratar do assunto ocorreu na manhã desta segunda (28) na sede da Prefeitura e contou com a participação do prefeito Alair Ribeiro, vice Nenzão, secretário de obras José Sólon, chefe de gabinete Inácio, do presidente da Câmara Gilmar José de Meneses, dos demais vereadores, Alessandro Otone, Sirley Oliveira, Valdeir Rodrigues (Deca), Willian Oliveira, Elson Soares, Edimar Bezerra e Robson Castro, do chefe do gabinete militar do estado Coronel Adailton Florentino, do comandante da PM de Cocalzinho Tenente Alles Maranhã, do coordenador de engenharia da SSPAP Marcus Patury e como convidado de honra, o Dr. José Francisco Vaz, que tem uma vasta experiência em segurança pública.

 O encontro de hoje objetivou a indicação por parte do poder público municipal de possíveis locais onde possa ser construído o presídio, que de acordo com os representantes do estado, será uma unidade que visará a ressocialização dos detentos, atendendo apenas aqueles cujos atos infracionais praticados forem considerados de menor gravidade. “esse projeto será piloto no Estado de Goiás, porque tem como principal objetivo a ressocialização do detento, ofertando a ele trabalho, não iremos manter indivíduos de alta periculosidade, estes serão enviados para outras unidades”, disse o coronel Adailton.

As autoridades defenderam a ideia de que a instalação de uma unidade prisional com essas características, além de uma necessidade para o município que sofre com a falta de vagas no presídio de Corumbá, será um investimento que proporcionará o crescimento do comércio local com a chegada de novos investidores e o aumento da oferta de emprego.

“Outro fator que levamos em consideração é o próprio aumento da segurança na região, porque com um presídio desse porte o Estado tem que disponibilizar mais viaturas e homens para  a região”, disse o engenheiro Marcus.

Dois locais foram sugeridos para a construção da unidade, o primeiro localizado no Assentamento Santa Felicidade e outro na sede Cocalzinho nas proximidades do Setor de Indústria. Um estudo de viabilidade desses locais será realizado e apresentado posteriormente pela equipe do Governo do Estado.