Secretaria de Meio Ambiente em conjunto com a Administração de Girassol, concluem obra de captação de água pluvial para conter erosão, no Setor Primar

Secretaria de Meio Ambiente em conjunto com a Administração de Girassol, concluem obra de captação de água pluvial para conter erosão, no Setor Primar

A prefeitura Municipal por meio da Secretaria de Meio Ambiente e da Superintendência de Administração de Girassol, finalizou a primeira etapa da obra de captação de águas pluviais no Setor Primar, o objetivo da fase inicial foi conter a erosão que se formava próximo ao setor, devolver a trafegabilidade de uma das principais ruas e impedir que a água entre nas residências.

Na manhã desta quarta-feira (07/11) o secretário de meio ambiente Márcio Werley e o superintendente de administração Naldo Machado estiveram no local vistoriando a obra.

“O volume de água proveniente da chuva que desce nessa rua é grande, os transtornos para os moradores com alagamentos e a destruição da rua eram inevitáveis, felizmente com o aval do prefeito Alair conseguimos atender essa reivindicação da população e sanar as questões ambientais, trabalhos com curvas de níveis, tubulação subterrânea (manilhas), caixas de captação e uma escadaria para direcionar água”, explicou Naldo.

Sobre os impactos ambientais o secretário Márcio Werley destacou “além dos transtornos para a população, o problema que conseguimos resolver estava gerando uma grande erosão, colocando em risco uma nascente próxima ao local, por isso houve essa parceria entre a SEMMA e a Superintendência de Administração de Girassol na execução da primeira etapa da obra, o desfecho final foi positivo”.

Os representantes do governo municipal relataram que na medida do possível darão sequência no trabalho com a expansão da rede de captação, que deve chegar até a Unidade Básica de Saúde –UBS localizada no setor e  posteriormente será iniciado a última fase do projeto que é a de pavimentação do local, seja com massa asfáltica  ou com blocos de concreto (sextavados). “O foco primário e emergencial era conter a erosão e impedir esses alagamentos, conseguimos, agora passaremos para as próximas fases para melhorar a qualidade de vida dos moradores do Primar”, destacaram eles.