Biografia – Eunice Gomes de Oliveira

Eunice Gomes de Oliveira, natural de Luziânia – Goiás, moradora do Distrito de Girassol, professora efetiva da rede Municipal de Ensino de Cocalzinho de Goiás, concluiu o seu ensino fundamental no Município, desde jovem seu sonho era se tornar professora, se formar em pedagogia, porém como tantos outros brasileiros enfrentou as dificuldades inerentes ao Brasil de 14 anos atrás e para fraseando o poeta “esperar não era saber, pois quem sabe faz a hora não espera acontecer”, ela fez acontecer e assim se graduou em Pedagogia pela UEG – Universidade Estadual de Goiás, e posteriormente fez sua Pós-Graduação em Orientação Educacional, no Instituto Impar.

Seu avô conhecido como Graciliano, foi o primeiro morador do então “Povoado de Girassol”, povoado este que carecia de uma unidade escolar a medida que aos poucos ganhava características de uma pequena cidade, sempre que ele subia em um ponto Alto e específico da cidade ele ficava encantado com a paisagem e falava consigo mesmo “Que Boa Vista”, e assim nasceu a primeira Escola Municipal do Distrito de Girassol, batizada de Alto da Boa Vista, onde curiosamente sua neta e aluna desta escola, mais conhecida como “Nicinha” viria a se tornar gestora.

Em sua trajetória foi membro da primeira formação do Conselho Tutelar Instituído e a primeira mulher a ser Conselheira no Distrito de Girassol,  em 2004 tomou posse no concurso para fazer parte do quadro de professores da rede municipal de Educação, posteriormente foi eleita gestora da maior escola da rede Municipal de Cocalzinho, Alto da Boa Vista,  em 2016 a 2018 exerceu o cargo de Secretária de Educação, retornando ao cargo atualmente em 2021, sendo a primeira Secretaria em 28 anos de Emancipação do Município de Cocalzinho a ter uma professora originária do Distrito de Girassol, a assumir a importante tarefa em conduzir as políticas públicas voltadas para a comunidade escolar através da Pasta da Secretaria de Educação e Cultura.

Nas palavras da então professora Eunice “o magistério não é uma profissão apenas, é uma religião, pois deve ser alimentada com muito amor, com técnicas e recursos pedagógicos, que se fazem necessários ao exercer o mundo lúdico de uma criança, buscando dentro de si a empatia adequada para por fim conseguir disponibilizar os múltiplos recursos adquiridos, multiplicando e potencializando as capacidades da potência humana”.