CRAS: Projovem Adolescente desenvolve o projeto “ Respeitando as Diferenças”

Durante os dois últimos meses os coletivos do Projovem adolescente , desenvolveram em suas atividades o Projeto “Respeitando as Diferenças” que teve por objetivo orientar os adolescentes e jovens sobre o preconceito racial e as discriminações existentes no Brasil e no mundo, que ele existe e está escondido de diversas formas.

Durante o desenvolvimento do projeto foi observado pelos participantes que, vivemos em uma sociedade preconceituosa e para vencermos os preconceitos devemos conscientizá-los sobre uma nova forma de agir. Conscientizá-los que todos nós somos iguais, não importa a cor, raça, religião, padrão social e sexo. Levando-os de forma consciente a sobressair-se de várias situações que venham a fazer parte em suas vidas.

O Racismo é a tendência o pensamento, ou do modo de pensar em que se da grande importância a noção da existência de raças humanas distintas superiores umas às outras. O racismo não é uma teoria científica, mas sim, um conjunto de opiniões pré-concebidas entre os seres humanos, isto faz com que alguns acreditem serem superiores aos outros de acordo com a sua matriz racial.

Durante todo o projeto foi trabalhado vários tipos de preconceitos, destacando-se: preconceito racial, preconceito sexual, preconceito social, preconceito em relação à religião, preconceito em relação à mulher, preconceito em relação aos deficientes, preconceito em relação ao Etnocentrismo  e preconceito em relação á xenofobia, além do bulying.

Todos conhecemos, “brancos contra negros, contra amarelos, contra vermelhos… É um monte de cores contra um monte de cores”.

O Preconceito Sexual é discriminar alguém pela sua escolha sexual. Homossexuais e bissexuais são agredidos por não serem “iguais” às regras da sociedade. Muitas pessoas escondem a sua opção sexual, simplesmente por medo, pois temem serem discriminados pelos outros, e sofrerem de insultos, brincadeiras e apelidos indesejáveis.

O Preconceito Social, esta muito na moda pelo fato de que as pessoas mais bem na vida discriminam os mais pobres, por exemplo: “Ricos discriminam pessoas de baixa classe social, com famosas frases do tipo, “isso é coisa de pobre.”, Ou vice versa”.

Existem vários tipos de preconceito em relação à religião, pois nem toda a gente é crente, existem várias “rivalidades” entre diferentes tipos de religião.

O preconceito em relação às mulheres é denominado por machismo existe por causa do antigo papel das mulheres como dona de casa. O machismo gera muita mágoa porque, vários homens não reconhecem a capacidade das mulheres de fazerem algo diferente do que fazem em casa.

Nos dias de hoje, a mulher já é mais autônoma, dona de si própria, mas mesmo assim existe algum preconceito principalmente no mercado de trabalho, pois acham que a mulher não é auto-suficiente para trabalhar em diferentes tipos de emprego.

O preconceito em relação aos deficientes, seja o deficiente físico ou mental, não tem jeito… é só sair na rua que olham tortos, mantêm distância, como se a deficiência fosse algo contagiosa.

E não é só de olhar torto que existe o preconceito, eles são rejeitados e, quando precisam, ninguém se dispõe a ajudar.
Para essas pessoas, é muito difícil fazer amizades e ainda mais difícil ser aceitar pela comunidade Xenofobia é comumente associado a aversão a outras raças e culturas. É também associado à fobia em relação a pessoas ou grupos diferentes, com os quais o indivíduo que apresenta a fobia habitualmente não entra em contacto e evita.

Por esta razão xenofobia tende normalmente a ser visto como a causa de preconceitos. Por exemplo, defensores do termo Homofobia acreditam que todo preconceito a Homossexuais provém de medo irracional (fobia).

Porém isto não é totalmente verdade. Xenofobia pode realmente causar aversões que levam a preconceito racial ou de grupos. Contudo nem todo o preconceito provém de fobia. Preconceito pode provir e outras causas. Estereótipos pejorativos de grupos minoritários, por exemplo, podem levar um indivíduo a ter uma ideia errada de outro grupo podendo ultimamente levá-lo ao ódio. Outra causa pode provir de idéias e conceitos preconceituosos, em que a causa não é fobia, mas conflitos de crenças. Esta causa é similar á anterior, porém é gerada por conflito de conceitos, não desinformação. Por exemplo, um grupo machista odiando homossexuais (por contrastar com a sua forma de vida), religião pregando contra outras religiões (por conflito de conceitos), idéias políticos como o arianismo nazista.

Etnocentrismo é uma atitude na qual a visão ou avaliação de um grupo social sempre seria baseada nos valores adotados pelo seu grupo, como referência, como padrão de valor. Trata-se de uma atitude discriminatória e preconceituosa. Basicamente, encontramos em tal posicionamento um grupo étnico considerar-se como superior a ouro.

Não existem grupos superiores ou inferiores, mas grupos diferentes. Um grupo pode ser menor desenvolvido tecnológico (como, por exemplo, os habitantes anteriores aos europeus que residiam nas Américas, na África e na Oceania) se comparado a outro, mas, possivelmente, é mais adaptado ao determinado ambiente, alem de não possuir diversos problemas que esse grupo “superior” possui.

Na finalização do projeto percebeu-se que os adolescentes envolvidos, estão mais abertos as diferenças que existem, respeitando melhor o próximo, tendo consciência das causas e malefícios que o preconceito causa.

 Fonte (Cras/Projovem).

“Nunca é muito tarde para abandonarmos nossos preconceitos”, Henry David Thoreau.

“Dar ouvidos a preconceitos é renunciar a própria liberdade”. Frei Anselmo

Outras Postagens

©2021 - Prefeitura de Cocalzinho de Goiás. Todos os direitos reservados.