Em reunião, os três Poderes buscam solução para melhorar a segurança pública no município

Nesta segunda-feira (02) uma importante reunião com o objetivo de buscar soluções para melhorar a segurança pública no município foi realizada na Câmara Municipal de Cocalzinho de Goiás com a presença de representantes dos três poderes: Judiciário, Executivo e Legislativo.

O município hoje se encontra em uma situação delicada no que tange a segurança, o número de efetivo da policia Militar e Civil é insuficiente para a demanda populacional, faz-se necessário um reforço na frota de veículos e o ponto chave da questão, Cocalzinho de Goiás não tem um presídio próprio, apesar do município ter doado ao Estado o espaço para a construção dele.

Hoje todos os detidos são encaminhados para Corumbá de Goiás, que oferta apenas 25 vagas para o município, de acordo com o diretor do presídio, Rubens, a situação está cada vez difícil, pois o Estado também não está dando o devido suporte “o estado está falido nesse sentido” disse ele.

“Em nenhum momento estamos criticando o trabalho da PM ou da Civil em nosso município, sabemos que eles têm trabalhado mesmo com poucos recursos”, disse o presidente da Câmara, Wilmar Noel.

“A grande questão é o Estado, precisamos de mais atenção e que eles assumam de vez o papel, não podemos mais ser penalizados” disse o prefeito.

O novo Juiz da comarca de Cocalzinho de Goiás, Dr. Henrique, ressaltou da importância de se lutar pela construção do presídio “solicitar mais vagas em Corumbá seria tapar o sol com a peneira, precisamos do presídio aqui em Cocalzinho e também precisamos divulgar as competências de cada órgão para a população, para que todos fiquem cientes do papel e das competências de cada um”, disse ele.

Relatando os esforços das policias Civil e Militar, o delegado Fernando Gama e o Coronel da PM, José Luiz Biano, afirmaram que mesmo com poucos recursos as entidades estão trabalhando seriamente e com resultados positivos, muitas vezes ultrapassando o limite de suas forças, mas infelizmente esbarram nas leis e na falta de vaga para colocar os detidos.

O que ficou acordado entre todos é que as cobranças direcionadas à Secretaria de Segurança do Estado de Goiás serão intensificadas, e em comum acordo todos assinaram um documento solicitando ao secretário, José Eliton, que tomasse conhecimento e providencias sobre várias assuntos, dentre eles destacam-se: a construção do presídio em Cocalzinho, aumento do efetivo e da frota de veículos da PM e da Civil, um plantão da Civil 24 horas na sede, implantar a subdelegacia da Civil em Girassol, aumentar o suporte em combustível e reparos nas viaturas, dentre outros.

Estiveram presentes: os vereadores (Wilmar, Elson, Sirley, Alessandro, Edimar, Medeiros, Jaime, Emerson, José Alves, Dário,Gilmar), o prefeito, Alair Ribeiro, vice-prefeito, Alair Rabelo, promotor de justiça, Dr. Eliseu da Silva, o Juiz de Cocalzinho, Dr. Henrique, delegado da policia civil, Fernando Gama, comandante do 13º CRPM tenente coronel, José Luiz Biano, comandante da PM local, Sargento Divino Thomas, diretor do presídio de Corumbá, Rubens, escrivão da polícia civil local, Sebastião.

Outras Postagens

©2021 - Prefeitura de Cocalzinho de Goiás. Todos os direitos reservados.