.

.

.

Prefeito e vereador recorrem a Subsecretaria de Educação para solucionar a falta de salas de aula em Girassol

Na tarde da última terça-feira (19) o prefeito de Cocalzinho de Goiás, Alair Gonçalves Ribeiro, e o vereador, Alessandro Otoni Barcelos, se reuniram mais uma vez com a subsecretária de educação de Anápolis, professora Sonja M. Lacerda, para cobrar maior agilidade na implantação dos módulos que servirão de salas de aula aos alunos do ensino médio do Distrito de Girassol.

As autoridades municipais alegam que não há mais a possibilidade de ceder as salas da escola Maria do Carmo Guirra no período matutino para o Estado, como estava acontecendo ao longo desses anos, devido o aumento sensível da demanda dos alunos de 04 a 05 anos que por Lei tem direito ao acesso da educação infantil e é de competência do município garantir esse acesso.

Durante a primeira reunião com a subsecretaria realizada no dia 11 de novembro de 2015, ficou acordado que os responsáveis pela rede estadual de ensino solucionariam o problema implantando módulos emergenciais, cerca de seis, para atender a demanda dos alunos do ensino médio enquanto as obras do colégio estadual fossem concluídas, liberando as salas pertencentes ao município.

Porém, até o momento isso não ocorreu e diante do tempo escasso e da insegurança de vários pais temendo que seus filhos fiquem sem estudar, ou que sejam obrigados a estudar no período noturno, tanto o prefeito representante do Executivo como o vereador representando o Legislativo se viram obrigados a intensificar as cobranças, “nós precisamos do espaço na escola Maria do Carmo, que foi cedido ao Estado para que possamos atender a nossa demanda de alunos da educação infantil, mas também não podemos deixar de dar o devido suporte aos alunos do Ensino Médio, apesar da responsabilidade ser do Estado, o que nós queremos é um acordo em conjunto que atenda a todos”, disse o prefeito.

O que se espera por parte do Estado é que esses módulos, sejam implantados antes das aulas iniciarem, além da conclusão das obras do colégio Waldir Rezende, acabando assim com a incerteza e insegurança dos alunos, pais, professores e das autoridades municipais.

A Subsecretaria de Educação Estadual, localizada em Anápolis, garantiu que irá cumprir o acordo, mas o prefeito frisou “caso contrário ficará inviável o iniciar o ano letivo”.